Método QuantumBIO

Pensadores e Cientistas

Conheça alguns dos principais cientistas e pensadores cujas teorias foram adaptadas pelo Prof. Inamoto para serem utilizadas dentro do Método QuantumBIO.

Sem exceção, todos esses cientistas foram considerados visionários, e suas teorias, em alguns casos, desacreditadas devido a poderosos interesses econômicos. Recentemente, porém, muitas delas tem ganhado força. Veja a seguir um resumo sobre os trabalhos desses cientistas e tire suas próprias conclusões.

Fritz-Albert Popp

Um dos descobridores da Teoria biofotônica

Quem é Fritz-Albert Popp e qual sua contribuição para a Biofísica Quântica?

Dr. Popp é um físico alemão, formado em física experimental na Universidade de Würzburg.

É PhD em física teórica  na Universidade de Mainz e possui uma cátedra na Universidade de Marburg. Ele conduziu uma pesquisa inédita que confirmou a existência de BIOFÓTONS. Por isso, tornou-se o criador da  TEORIA BIOFOTÔNICA. Um ramo da biologia quântica que lida com interações entre fótons individuais e matéria biológica, a fim de compreender o funcionamento interno de células e tecidos em organismos vivos.

O que são BIOFÓTONS?

A melhor definição que se tem de biofótons foi realizada pelo professor Vladimir Voeikov, biofísico da Universidade de Moscou. Ele diz o seguinte: “Biofótons são RADIAÇÕES ELETROMAGNÉTICAS COERENTES E ULTRA-FRACAS, capazes de modular as atividades fisiológicas das células e dos sistemas vivos de ordem superior.”

“A partir desse ponto de vista, os biofótons são pacotes de ondas que CONTÉM VALOR INFORMACIONAL o qual é revelado pelos seus efeitos regulatórios sobre os sistemas vivos, que são justamente os receptores das mensagens transportados pelos biofótons”. Por que a teoria de Popp foi tão revolucionária? Antes de Popp, o Prof.Albert L.Lehninger havia descoberto que, em média, cerca de 100 MIL REAÇÕES QUÍMICAS ocorrem em cada célula por segundo!

Como poderiam essas reações químicas ocorrerem simultaneamente sem qualquer erro em um sistema que é constituído por 100 bilhões de células como o corpo humano? Estava claro que uma visão baseada na FÍSICA TRADICIONAL NEWTONIANA  não era suficiente para responder a essa questão. Era preciso uma explicação baseada na FÍSICA QUÂNTICA.

Fritz-Albert Popp deu uma resposta a esta questão: “Este processo de auto-regulação, assim como as informações para essas reações ocorrerem, DEVEM SER CONTROLADAS POR FÓTONS,  afinal nada além deles tem velocidade suficiente para desencadear essa reação por célula e por segundo.” E o mais surpreendente... “Este mecanismo é capturado pela psique e é também, em parte, REGULADO PELA CONSCIÊNCIA.” Prof. Fritz-Albert Popp descobriu que esses fótons devem ser coerentes para dar a  INFORMAÇÃO CERTA PARA AS CÉLULAS, propiciando assim reações químicas no lugar certo e na hora certa. Em 1996, Dr. Popp fundou o Instituto Internacional de Biofísica em Neuss, Alemanha. Este instituto é uma rede mundial de biólogos, químicos, pesquisadores médicos, físicos e outros cientistas em 14 universidades e institutos governamentais de pesquisa. Os trabalhos executados pelo biofísico alemão concluíram que as emissões de luz ultra-fracas ORQUESTRAM O CORPO e que esta comunicação fotônica capacita cada célula a saber o que outra célula está fazendo. Para ele, o campo de biofótons tem natureza holográfica e pode ATIVAR E INIBIR PROCESSOS BIOQUÍMICOS, organizar a matéria e muito mais. As interações entre fótons e reações químicas são constantes nas células e nos organismos. Nos sistemas biológicos existe uma espécie de matrimônio entre o campo fotônico e a matéria bioquímica. Um é necessário para entender o comportamento do outro, pois é impossível separar o seu estudo. Se levarmos em conta somente uma das partes, cometeremos muitos erros. Ficou provado que todos os organismos vivos, incluindo as células, SE COMUNICAM ATRAVÉS DE CAMPOS ELETROMAGNÉTICOS, emitindo fótons de luz. Todos os sistemas vivos SÃO SERES DE LUZ.