Método QuantumBIO

Pensadores e Cientistas

Conheça alguns dos principais cientistas e pensadores cujas teorias foram adaptadas pelo Prof. Inamoto para serem utilizadas dentro do Método QuantumBIO.

Sem exceção, todos esses cientistas foram considerados visionários, e suas teorias, em alguns casos, desacreditadas devido a poderosos interesses econômicos. Recentemente, porém, muitas delas tem ganhado força. Veja a seguir um resumo sobre os trabalhos desses cientistas e tire suas próprias conclusões.

Dr. Harold Saxton Burr

Cada órgão tem uma vibração própria.

"Os padrões elétricos de vida" - o trabalho do Dr. Harold S. Burr . Os trechos a seguir tem tradução livre e são extraídos para a imortalidade, pelo Dr. Harold Saxton Burr.

"O universo em que nos encontramos e do qual não podemos ser separadas é um lugar de lei e ordem. Ele não é um acidente, nem o caos. Ele é organizado e mantido por um campo eletro-dinâmico capaz de determinar a posição e movimento de todas as partículas carregadas. Durante quase meio século, as conseqüências lógicas dessa teoria foram submetidas a condições rigorosamente controladas e reuniram-se comprovações sem nenhuma contradição".

Estas foram as declarações do Dr. Harold Saxton Burr, Ph.D., que era Professor Emérito de anatomia na Universidade de Medicina de Yale. Dr. Burr foi um membro da faculdade de medicina por mais de 43 anos. De 1916 ao final de 1950 ele publicou, sozinho ou com outras pessoas, mais de noventa e três artigos científicos.

Dr. Burr descobriu que todos os seres vivos - desde os homens a ratos, de árvores para sementes - são moldados e controlados por campos eletro-dinâmicos, que podem ser medidos e mapeados com voltímetros. Esses "campos da vida", ou L-campos, são os projetos básicos de toda a vida neste planeta. A descoberta é de grande importância para todos nós. Dr. Burr acreditava que, desde que as medições de tensões de campo L pudessem revelar condições físicas e mentais, o médico deveria ser capaz de usá-las para diagnosticar a doença antes do aparecimento dos sintomas, e assim teria uma melhor chance de sucesso do tratamento.

"Campos eletro-dinâmicos são invisíveis e intangíveis, e é difícil visualizá-los. Mas a analogia pode ajudar a mostrar o que os campos da vida - ou L-campos - fazem e por que eles são tão importantes. Tomando como base a ciência do ensino médio, é possível lembrar de que se as limalhas de ferro estão espalhadas ao longo de um ímã, eles vão organizar-se no padrão das "linhas de força" do campo do ímã. Algo como isso acontece no corpo humano. Suas moléculas e células estão constantemente a serem dilaceradas e reconstruídas com material fresco do alimento que comemos. Mas, graças ao controle dos L-campos, as novas moléculas e células são reconstruídos como antes e arranjam-se no mesmo padrão que as antigas."

"Até que instrumentos modernos revelassem a existência do controle dos L-campos, os biólogos estavam tentando explicar como os nossos corpos mantêm a forma através do metabolismo incessante e mudanças de material". Agora, o mistério foi resolvido: O campo eletro-dinâmico do corpo serve como uma matriz ou molde, que preserva a "forma" ou disposição de qualquer material; no entanto, muitas vezes o material pode ser alterado.

"Quando um cozinheiro olha para um molde de geléia, ele sabe a forma da geléia que vai sair dela. Da mesma forma, a inspeção com instrumentos de campo de L em seu estágio inicial pode revelar a futuro "forma" ou arranjo dos materiais que irão moldar. Quando o campo L em um ovo de sapo, por exemplo, é examinado eletricamente, é possível mostrar a localização futura do sistema nervoso da rã, porque campo L do sapo é a matriz que irá determinar a forma que se desenvolvem a partir do ovo."

"Para voltar ao cozinheiro, quando ele usa um molde irregular, ele espera encontrar algumas reentrâncias ou saliências na geléia. Da mesma forma, ao "agredir" o campo-L - isto é, com padrões anormais de tensão - pode dar um aviso de que algo "fora de forma" no corpo está por vir, por vezes, antes de os sintomas reais. Por exemplo, a malignidade no ovário foi revelada por meio de medições de campo L, antes de qualquer sinal clínico pode ser observado. Tais medições, por conseguinte, poderiam ajudar os médicos para detecção precoce do câncer, quando existe uma melhor chance de tratá-la com sucesso."

Dr. Louis Langman, da Universidade de Nova York e Bellevue Hospital, examinou mais de 1.000 pacientes com uso das medições eletro-métricas do campo L. Dr. Langman e seus assistentes examinaram os pacientes que estavam nas enfermarias do hospital e foram sujeitos a uma variedade de síndromes. Eles incluíram fibromas, bem como outros eventos patológicos dessas mulheres. Naqueles que mostraram uma acentuada mudança no gradiente de tensão entre o colo do útero e a parede abdominal ventral, o medidor de tensão foi mantido e controlado.

"Havia cento e dois casos em que houve uma mudança significativa no gradiente de tensão, sugerindo malignidade. A confirmação cirúrgica veio em noventa e cinco dos cento e dois casos. A posição real da malignidade variou em cada paciente, dos tubos ao próprio tecido do ovário. Tivemos uma percentagem surpreendentemente elevada de uma identificação bem sucedida de malignidade no trato generativo, confirmada por biópsia."

No crescimento e desenvolvimento de qualquer sistema de vida existe, obviamente, algum tipo de controlo de processos. Como disse uma distinta zoóloga uma vez: "O crescimento e desenvolvimento de qualquer sistema vivo parece ser controlado por uma força organizadora que age sobre todo organismo e dirige todo o seu processo de vida".

A teoria do campo sugeriu que deveria ser possível determinar a polaridade e a direção do fluxo de transformações de energia no sistema de vida do organismo como um todo, dependente de tais diretivas para a sua existência. Assim, deveria servir também para determinar seu crescimento atípico.

Dr. Burr decidiu examinar as propriedades elétricas em ratos com câncer para determinar se as medições de tensão mudariam durante a iniciação e crescimento do tecido de cancerígeno. "Os resultados da experiência foram surpreendentemente consistente. Vinte e quatro a 28 horas após a implantação, foram observadas alterações nos gradientes de tensão. Esse diferencial aumentou de forma constante e sem grandes dificuldades para atingir um máximo de cerca de cinco milivolts no décimo primeiro dia. Nos tumores de crescimento lento, potenciais diferentes começaram a surgir no terceiro ou no quarto dia, mas atingiram o seu máximo de aproximadamente três milivolts no dia 10 ou 11."

Nos animais de controle não houve variações significativas de tensão. "Está claro a partir destes resultados que a crista de crescimento atípico no organismo hospedeiro produziu correlatos eletro-métricos mensuráveis e reprodutíveis."

"Nós tínhamos razão em acreditar que o campo eletro-dinâmico poderia servir como um sinal para uma variedade de condições, porque nossos experimentos confirmaram a nossa hipótese básica. Esta hipótese consistia que o organismo possui um campo como um todo, que abrange campos subsidiárias ou locais, o que representa componentes do organismo. Assumimos, então, que as variações nas áreas controladas seriam refletidas em variações no fluxo de energia em todo o sistema - como tínhamos encontrado na ovulação e malignidade. Decidimos, portanto, procurar mais comprovações da teoria."

Dr. Burr foi capaz de medir as mudanças que ocorrem no campo de L como feridas sérias até a cura. Durante todas as fases do processo de cura, puderam ser feitas medições de gradiente para mostrar que o corpo inicia várias das funções associadas à cicatrização de feridas.

Uma das descobertas mais excitantes do Dr. Burr lidou envolveu as variações de tensão durante os ciclos menstruais femininos.

"Enfocamos na idéia de usar um coelho fêmea, pois é sabido que as coelhas ovulam cerca de nove horas após a estimulação do colo do útero. Assim, uma coelha foi estimulada e nove horas depois, foi anestesiada. Após a conexão dos eletrodos e observando através de um microscópio, de repente isso aconteceu com o assombro e deleite dos cientistas: no momento em que - através do microscópio - viram a ruptura do folículo e do óvulo liberado, houve uma mudança brusca na tensão no gravador."

"Pouco depois, uma jovem teve que fazer uma operação e se ofereceu para deixar isso ser feito, quando seus registros elétricos indicaram que a ovulação era iminente. Quando os gradientes de tensão começaram a subir, ela foi levada para a sala de cirurgia. Um folículo rompido recentemente foi observado - que confirmou os achados no coelho."

Esses achados foram histórico de duas maneiras. Em primeiro lugar, eles propiciaram uma prova dramática do papel desempenhado pelos L-campos da biologia. E, pela primeira vez, eles mostraram que o movimento da ovulação pode ser determinado com precisão eletricamente.

Esta notável descoberta tem grandes implicações práticas. Através de medições em mulheres através dos L-campos, foi possível notar que algumas mulheres podem ovular ao longo do ciclo menstrual inteiro, que a ovulação pode ocorrer sem a menstruação, e menstruação sem ovulação. "A importância desse conhecimento para ginecologia, planejamento familiar e nascimento controle é óbvio. Ele também ajuda a explicar por que os métodos usuais de controle de natalidade é inadequado."

A paciente do Dr. Burr, uma mulher casada, fez bom uso dessa descoberta. Durante anos, ela e seu marido tinha desejado em vão ter filhos. Assim, ao longo de um período de várias semanas, ela fez visitas regulares ao laboratório do Dr. Burr e mediu as tensões em seu próprio campo de L com os instrumentos. Quando um dia viu-os crescendo rapidamente, ela sabia que a ovulação era iminente, e foi ficar com seu marido. A desejada - e muito amada - criança era o feliz resultado desta aplicação do trabalho do Dr. Burr.

Dr. Burr foi um grande pioneiro! Ainda hoje os resultados de sua pesquisa podem ser utilizados de várias maneiras que ajudam para uma maior saúde para a humanidade.