Blog

Bioenergia e Medicina integrativa.

21/07/2017 15:16:28

O Universo é regido por energia. Energia significa movimento, ação, transferência, geração, produção, etc. Como surgiu? 


A teoria e a justificativa está no que ocorreu há mais ou menos 18 bilhões de anos, por ocasião do fantástico Big Bang. A explosão que desencadeou a formação do Universo foi o fato gerador das individualidades fenomênicas e factuais. Assim, justifica-se a diferenciação, e a identificação intrínseca e específica dos elementos, desde o microcosmo até o macrocosmo.


No campo da medicina, destacam-se nomes como o cientista Harold Saxton Burr da Faculdade de Medicina da Universidade de Yale – Estados Unidos (décadas de 30 à 72); Ronald Winstock – idealizador do aparelho MRA (analisador por ressonância magnética) – 1989. Hoje, a Biorressonância, milhares de vezes mais sensível do que a ressonância magnética, tem a capacidade de identificar distúrbios e desequilíbrios, muito antes das fases lesionais, bem como promover terapias na busca do equilíbrio quântico do organismo. 


INDIVIDUALIDADE FENOMÊNICA E A SAÚDE


Não existem duas coisas iguais no Universo, assim como não existem duas pessoas iguais. Esta diferenciação se acentua mais quando consideramos a questão quântica (energia) de cada um. 


Nosso sistema orgânico funciona basicamente através do Sistema Nervoso e do Sistema Endócrino. O primeiro depende de impulsos elétricos, e o segundo de fluídos hormonais. São dois sistemas interdependentes, cujo equilíbrio é fonte geradora da harmonia denominada de saúde.


No organismo humano a manutenção dos vários sistemas integrados requer por sua vez o sinergismo quântico e holístico. A manifestação interna deve ser associada à comunicação externa no contexto social do indivíduo, a fim da manutenção do equilíbrio.


A harmonia do Universo, assim como a harmonia do indivíduo, é gerada pelo sinergismo dos fatores diferenciais dos elementos ou sistemas dependentes. Analogamente podemos dizer que os diferentes instrumentos de uma orquestra com diferentes sons, afinados e equilibrados entre si geram no conjunto uma sinfonia harmônica. Como já foi dito, não existem duas coisas iguais no Universo, porém, o segredo da manutenção do microcosmo ao macrocosmo universal, está na sincronia entre os fatores diferenciais.


O QUE É BIORRESSONÂNCIA


Nosso organismo é constituído de sistemas, órgãos, tecidos e células. Podemos dizer que cada organismo tem a sua Biorressonância, que é a soma sinérgica dos vários sistemas. Biorressonância é a identificação do ciclo vibracional de cada sistema, órgão, tecido ou célula, avaliando a sua intensidade funcional. 


Os países mais avançados neste tipo de pesquisa e aplicação são França, Alemanha, Japão e Estados Unidos. Os aparelhos mais conhecidos no Brasil são os denominados de Vega-Test (origem alemã) e Hadô / Vivo II e Vivo III (origem japonesa). Estes equipamentos conseguem detectar situações funcionais ou lesionais de qualquer sistema ou órgão, de forma instantânea, sem o uso de processos invasivos. Este princípio é uma forma mais técnica e científica que justifica os efeitos da Homeopatia, Florais, Cromoterapia, Reiky e todos os meios de tratamentos que não utilizam a massa (tais como a alopatia), mas sim a energia.


BIORRESSONÂNCIA E A MEMÓRIA DA ÁGUA


A molécula de água é um pequeno ímã que tem capacidade fantástica de memorização, assim como tem as fitas de vídeo, fita cassete e winchester do computador, que são elementos a base de ímãs. Também, as comunicações intercelulares do organismo são realizadas através da memória da água.


Podemos dizer que aproximadamente 65% a 75% do nosso organismo é constituído de água. Praticamente 70% do nosso sangue é água. A água que tomamos pode levar fatores positivos ou negativos ao nosso organismo, mesmo que seja de boa origem e qualidade.


O francês Jacques Benveniste, no ano de 1996, foi um dos pesquisadores que comprovou a possibilidade da transmissão via internet do sinal eletromagnético da acetilcolina, de Paris à Chicago, otimizando o fluxo coronário de uma cobaia. Da mesma forma, uma planta ou folhagem num ambiente, pode gravar todas as energias, sons e vibrações daquele meio, porém ainda não temos como reproduzi-los.


BIORRESSONÂNCIA E A ELIMINAÇÃO DE METAIS TÓXICOS


Podemos dizer que 90% da população acima de 50 anos de idade, 60% acima de 30 anos e 10% acima de 15 anos de idade, contém em seu organismo, algum tipo de metal tóxico em níveis prejudiciais.


Os metais indesejáveis mais comuns são o alumínio, chumbo, mercúrio, cádmio, bismuto e níquel, além de dezenas de outros.


Todos os metais atacam o cérebro, a medula, o processo renal e hepático, causando debilidades do sistema nervoso e endócrino.


Segundo o Dr. Hélion Póvoa da Unirio – RJ, aproximadamente 35% de alumínio e 40% do chumbo que contaminam a população no Brasil provêm da água tratada. Os metais tóxicos estão presentes na maioria dos alimentos industrializados, agrotóxicos, pesticidas, inseticidas, cosméticos e utensílios domésticos. Estes criam distúrbios orgânicos, pois desestabilizam a captação do fator zinco, cobre e magnésio - e, por consequência, o ferro; lembrando que este é o elemento carreador do oxigênio na corrente sanguínea.


Na minha experiência clínica, o consumo de água com efeito bioconvertido do princípio sinérgico da homeopatia, utilizando o equipamento “Hadô” (do Japão), tem gerado excelentes resultados na desativação e eliminação de metais tóxicos. Este método tem uma grande vantagem, pois o paciente não consome o padrão da homeopatia, mas sim, simplesmente a frequência da mesma de forma potencializada que, por sua vez, ativa o processo imunológico (mecanismo de Golgi) na eliminação. O método é rápido, barato e não oferece efeitos colaterais. 


MEDICINA BIOLÓGICA: PRÁTICA DA VERDADE SEM RISCOS.


O princípio da medicina lógica está na Biorressonância, isto é, buscar o equilíbrio das coisas.


O Universo funciona e evolui sob a harmonia sequencial do movimento e da energia. Tudo que existe na natureza, sobrevive sob o domínio do equilíbrio. Tudo que desequilibra tem como consequência a extinção. Desta forma, podemos dizer que a doença é resultado do desequilíbrio sinérgico de vários fatores internos e externos, causada pela ingestão ou comunicação imprópria, cujo caminho da sobrevivência é a busca do “equilíbrio”.


Então, dentro dos meus objetivos como terapeuta holístico, busco sempre tratar a pessoa como um todo, eliminando os fatores desequilibrantes (seja nutricional, emocional ou espiritual) e adicionando elementos sinérgicos oferecidos pela natureza, que primam pela simplicidade e eficiência.


Portanto, o tratamento nunca deve ser unilateral, mas sim a procura do equilíbrio. Exemplificando, sendo hipertenso ou hipotenso, obeso ou magro, o tratamento deve ser sempre o mesmo. Na maioria das vezes, as pessoas que tem hipertireoidismo ou hipotireoidismo, a disfunção está simplesmente no desequilíbrio do eixo hipotálamo e hipófise. Repor os hormônios da tireoide é apenas uma intervenção muitas vezes necessária, porém de mérito temporário. Praticar a regeneração hipófisária seria a solução das duas questões.


Faça seu comentário:

País:

Atuação profissional: