Blog

10 alimentos inimigos da sua saúde.

22/04/2019 09:17:54

De acordo com uma pesquisa da Deloitte, em 2015 foram registrados 334 mil infartos, 44 milhões de diagnósticos de hipertensão e 4 milhões de novos casos de insuficiência cardíaca no Brasil. As doenças do coração são a principal causa de morte no país e um sério problema de saúde pública, uma vez que os gastos com tratamentos giram em torno de 57 milhões de reais.

 

As patologias cardíacas são, principalmente, consequências de um estilo de vida pouco saudável. Além de fatores genéticos, uma alimentação equivocada e uma rotina com poucos exercícios físicos podem ser o gatilho para o desenvolvimento de doenças ligadas ao coração.

 

Conheça dez alimentos que são pró-inflamatórios, inimigos de uma saúde perfeita e que podem desencadear uma série de problemas cardíacos e de saúde, em geral:

 

1 - Pipoca de micro-ondas: Por mais que a pipoca em si seja uma ótima boa escolha para uma dieta saudável, as variações que são preparadas no micro-ondas oferecem grande risco à saúde. O plástico que reveste o interior do pacote pode liberar uma substância chamada ácido perfluoroctanóico (PFOA), quando aquecido. Esta substância é potencialmente cancerígena. Além disso, pipocas de micro-ondas geralmente contêm conservantes e aromatizantes artificiais que que acabam contribuindo para a inflamação arterial. Acrescente ainda o fato da gordura adicionada no pacote ser hidrogenada e pronto: temos uma alimento problemático para nossa saúde. Quer uma opção mais saudável? Faça a pipoca na panela, à moda antiga, utilizando manteiga, ghee, azeite de oliva extra-virgem ou óleo de coco na feitura. Uma pitada de sal no final do preparo e voilá! Bom apetite.

 

2- Adoçantes artificiais: O açúcar é um agravante para o desenvolvimento de doenças cardíacas, uma vez que contribui para a formação de compostos inflamatórios, mas simplesmente mudar o consumo para adoçantes artificiais não muda o risco. Certamente, produtos diet/light/zero não possuem calorias. Também não possuem glicose, por isso, foram criados para atender à demanda dos consumidores diabéticos. A associação de alimentos diet com hábitos saudáveis é produto do departamento de marketing e não do departamento científico. E apesar da indústria gastar trilhões de dólares até o momento não existem comprovações de que o consumo de produtos com adoçante artificial ajude no controle de peso. Ao contrário, trabalhos mostram uma associação com a obesidade. Suspeita-se de que o consumo de alimentos diet aumente o desejo por doces, por interferir com os mecanismos naturais de controle da fome, da saciedade e do açúcar corporal. O segredo é diminuir a ingestão de alimentos doces, gradativamente, e não apenas substituí-los por adoçantes artificiais.

 

3 - Margarina: Margarinas são gorduras hidrogenadas que formam depósitos sólidos dentro do corpo. A maior parte dos alimentos industrializados – e dos fast foods – contêm gordura hidrogenada ou parcialmente hidrogenada. Gordura hidrogenada não existe na natureza. Ela é uma maneira pela qual a indústria alimentícia encontrou para aumentar a vida útil dos óleos e não os deixar rançosos (oxidados) rapidamente. Por isso, fuja das margarinas e outras “manteigas light” (uma mistura de manteiga com margarina). A margarina foi criada por um químico numa época de fome e empobrecimento da população francesa. Sua intenção era apenas permitir que as pessoas tivessem algo para passar no pão, não com sua nutrição. Além disso, a margarina passou a ser a melhor maneira de engordar os perus antes do abate. Ela não é um alimento verdadeiramente, mas uma substância que tem que ser adicionada de corantes e realçadores de sabor para poder ser “comível”. Se você deixar um pote de margarina ao ar livre, 50 anos depois ela estará da mesma maneira. Pense: em margarina não pousa nem mosca! Qual a razão de comer algo que nem os insetos querem?

 

4. Frituras: Por mais que muitos restaurantes, principalmente fast foods, tenham diminuído a  taxa de gorduras trans em seus alimentos, a fritura em si é  inimiga dos vasos sanguíneos e do coração. Aquecer os óleos em altas temperaturas aumenta a formação de compostos cancerígenos (aminas tricíclicas). Ainda mais prejudicial é o hábito de reaquecer o óleo da fritura (comum em restaurantes, o que transforma a aventura de se alimentar fora de casa num ato arriscado).

 

5. Temperos prontos: o supermercado está cheio de potinhos e pozinhos que prometem tornar sua vida na cozinha rápida e prática, mas essa química toda faz mal para a saúde. O resultado: você economiza tempo na cozinha e acaba gastando mais à frente, em tratamentos para restabelecer a saúde. A saída? Se arrisque mais nas ervas e condimentos naturais, frescos ou desidratados. Você vai se surpreender! Tenha em casa potinhos de ervas desidratadas e condimentos naturais para preparar molhos na hora. São muito mais nutritivos. E saborosos!

 

6. Cubinhos ou potinhos de caldos prontos: Mais um exemplo que como uma suposta facilidade nos traz prejuízo. Aprenda a fazer caldos caseiros que além de proporcionarem um sabor incrível a qualquer prato, são ricos em minerais e colágeno.

 

7. Cereais refinados: Todos nós sabemos que a farinha branca não é a melhor opção para a saúde. Ela é rapidamente convertida em açúcar dentro do corpo e assim, contribui para inflamações. Entretanto, arroz branco; milho seco e verde com seus cremes (incluindo polenta e pamonha) e farinhas; amidos, fécula devem ser consumidos com cuidado, pois também aumentam o açúcar sanguíneo e contribuem para a inflamação endógena. Cuidado também com os tubérculos: batata-inglesa é o pior tipo de batata. Quando possível, a substitua pela batata-doce, mandioca ou aipim, batata-baroa ou mandioquinha. Atenção à farinha de mandioca; amidos, féculas, polvilhos, goma, tapioca, maisena: possuem alto índice glicêmico.

 

8. Xarope de milho com alto teor de frutose: O xarope de milho, utilizando pela indústria para evidenciar o sabor dos alimentos, tem alto teor de frutose, que é processada de maneira diferente dos outros açúcares no corpo. Este tipo de açúcar é metabolizado no fígado e transformado em triglicerídeos, que estão relacionados com o risco de doença cardiovascular. Para piorar, o consumo de frutose está relacionado com a gordura (esteatose) no fígado.

 

9. Óleos Vegetais: Óleos feitos a partir de milho, canola, soja e outros componentes vegetais são compostos, principalmente, de gorduras ômega-6 que estimula reações inflamatórias. Nunca mais compre óleos hidrogenados (soja, milho, canola etc.), sejam eles orgânicos ou não. São um verdadeiro veneno para a saúde, fique longe! Em qualquer receita que peça por qualquer óleo refinado, substitua por óleo ou gordura de coco, ghee ou manteiga clarificada ou manteiga de garrafa ou, no caso de saladas e outros preparados frios, um bom azeite de oliva extra-virgem.

 

10. Em vez de um alimento ruim para a saúde deixamos você com uma reflexão. Você pode comer de tudo: desde que não esteja 1) empacotado, 2) engarrafado, 3) enlatado. Saúde!

 

DESCUBRA O QUE FUNCIONA MELHOR PARA VOCÊ

 

Não existe uma dieta que funcione igual para todo mundo. Um alimento que faz bem para um, pode não ser benéfico para outro. Aprenda a identificar que alimentos lhe fazem bem e quais não fazem. Busque informações na internet, nos programas de saúde e tire suas próprias conclusões. Acompanhe profissionais de saúde que falem sua língua e cujas mensagens façam sentido para você. Siga nosso blog e fique atento a tudo que acontece em nossas redes sociais. É um bom ponto de partida para entender o que seu corpo precisa e o que ele quer que você evite.

 

Conheça mais sobre como ter uma rotina saudável e suplementos que podem contribuir para a prevenção de problemas de saúde.


Faça seu comentário:

País:

Atuação profissional: