Blog

Desequilíbrio de Cortisol: saiba o pode estar por trás do cansaço e da fadiga.

15/01/2019 14:51:14

Uma rotina estressante muitas vezes causa um cansaço crônico. Por mais que na cultura popular isso seja atribuídos aos afazeres diários, essa fadiga constante pode ser sinal de algum distúrbio no organismo. O estresse impacta diretamente várias funções do nosso corpo. As glândulas que recebem o primeiro impacto desta condição são as adrenais (antigamente conhecidas como suprarrenais). Elas são as responsáveis pela produção de hormônios importantes, dentre eles o cortisol. Caso o estresse seja crônico, elas podem apresentar falência progressiva.

 

A diminuição da produção de cortisol pelas glândulas adrenais pode gerar cansaço e diminuição do ritmo metabólico. A função do cortisol é auxiliar no controle do estresse, reduzir inflamações, fortalecer o sistema imunológico e balancear os níveis de açúcar no sangue. Também atua conjuntamente com a tireóide na produção de energia para o funcionamento celular. Por isso, muitas pessoas sentem sintomas parecidos com o do hipotireoidismo (diminuição da função tiroidiana): diminuição do metabolismo, cansaço, facilidade em ganhar peso, falta de motivação etc.

 

CORTISOL ALTO É SINÔNIMO DE FALTA DE DISPOSIÇÃO

 

Apesar destas importantes funções, níveis elevados de cortisol não são benéficos. Em abundância no organismo, ele bloqueia os receptores dos hormônios da tiroide dificultando a sua entrada nas células. Sendo assim, mesmo com uma função normal da glândula, os sintomas sentidos são parecidos com a falta de hormônios tireoidianos. A elevação do cortisol, portanto, também deixa o organismo mais lento e com maior sensação de fadiga. 

 

O aumento de produção do hormônio é a primeira resposta à fadiga adrenal. Este é um termo usado para explicar a dificuldade do corpo em lidar com o estresse regular. Como falamos, as glândulas adrenais são uma das primeiras a sentirem o impacto desta condição. Com o aumento da liberação de cortisol no organismo piora o quadro de estresse e o organismo entra em um ciclo vicioso.

 

EQUILÍBRIO PARA REENERGIZAR


Para quem vive sob estresse constante, estudos apontam que a ingestão de ômega-3 ajuda na redução dos sintomas e da liberação em excesso do cortisol. Outra prática recomendada é a adoção de hábitos que ajudem a relaxar e a encontrar o equilíbrio de forma natural.


Alguns alimentos também contribuem para o funcionamento normal das glândulas adrenais, regulando o nível de cortisol no corpo e produzindo aumento na disposição física e mental. As principais dicas são restringir o consumo de alimentos refinados, como pão, arroz e massas brancas; evitar o consumo de glúten (principalmente do trigo); se há intolerância à lactose, restrinja seu uso, pois alimentos alergênicos ajudam a estressar o organismo; aumentar o consumo de vitamina C, zinco e vitaminas do complexo B; evitar o jejum prolongado e cuidar do sono.


Para evitar a desequilíbrio da adrenal e estabilizar os níveis de cortisol, portanto, invista em uma rotina equilibrada de descanso e trabalho, pratique exercícios físicos regulares, aprenda a meditar e relaxar e cuide de sua alimentação. Pode parecer contraditório, mas para vencer o cansaço, algumas vezes, é necessário fazer mais atividades e prevenir o estresse.


Encontre mais prática e técnicas de estimular o equilíbrio do organismo no site da QuantumBIO.


Faça seu comentário:

País:

Atuação profissional: