Blog

Intoxicação por metais tóxicos: como tratar de forma natural.

24/08/2018 15:48:59
 

A intoxicação por metais está relacionada a diversas doenças crônicas e à sensação de mal-estar em milhares de pessoas. Alguns sintomas comuns do chamado “envenenamento por metais” são fadiga, perturbações do humor e alterações cognitivas. O contato com substâncias que podem causar estes males geralmente é feito por meio da ingestão de alimentos contaminados - o peixe é o mais comum -, água contaminada, por inalação de vapores oriundos de obturações dentárias e pela manipulação de produtos domésticos.


De acordo com uma publicação no Scientific World Journal, “metais tóxicos como o arsênio, cádmio, chumbo e mercúrio são onipresentes, não têm papel benéfico na homeostase humana e contribuem para doenças crônicas não transmissíveis”. Pesquisadores revelam que a exposição significativa a metais ambientais diferentes, também chamados corriqueiramente "metais tóxicos", pode contribuir para a toxicidade aguda ou crônica do organismo. Entretanto, cabe ressaltar que nem todos metais são tóxicos e alguns, em suas dosagens ideais, são essenciais para o bom funcionamento do organismo, como o cobre, o cobalto e o ferro.

 

METAIS TÓXICOS NO CORPO HUMANO


Uma vez na corrente sanguínea os metais tóxicos se deslocam pelo corpo e penetram nas células de tecidos e órgãos, onde podem permanecer por anos, causando danos ao organismo. Praticamente, não há como evitar a exposição a esses metais, considerando que eles também são elementos naturais encontrados em todo o mundo: nos alimentos, na água e na terra.

 

A intoxicação por metais é silenciosa e muitas vezes as pessoas afetadas não têm noção de que isto está acontecendo em seu corpo. Porém, a toxicidade do metal pode resultar em danos ou redução da função nervosa e mental, além de danos aos órgãos vitais como fígado, coração, glândulas endócrinas e rins.

Além disso, a exposição prolongada a metais tóxicos pode facilitar processos degenerativos físicos, musculares e neurológicos. Quando se tornam graves, os sintomas de intoxicação por metais podem até mesmo se assemelhar aos de doenças como o Alzheimer, Parkinson e a esclerose múltipla. Os sintomas da intoxicação também podem imitar os de envelhecimento, como perda de memória e aumento da fadiga. Sendo assim, muitas pessoas culpam o avançar da idade sem perceber que a exposição ao metal tóxico é um importante fator de causa das queixas.

 

DESINTOXICANDO O ORGANISMO

 

Quando identificado o envenenamento do organismo por metais tóxicos, um dos métodos de tratamento é a quelação. Este é um processo químico que ocorre diretamente nas moléculas do metal. Por meio de ligações covalentes, moléculas com capacidade quelante possuem maior afinidade pelos metais do que as células orgânicas, e assim removem o metal do seu local de ligação no organismo e neutralizam a sua ação tóxica.  Os quelantes, portanto, atuam na captura, no transporte e/ou na eliminação das substâncias.

 

Um quelante muito usado é o EDTA, um ácido que tem a propriedade de se ligar a metais tóxicos. Entretanto, o EDTA apresenta certa toxicidade, e dessa forma, o indivíduo absorve um elemento tóxico para se livrar de outro. Existem relatos de graves intoxicações por EDTA, um erro na administração do “remédio” e este pode fazer tão mal quanto o que pretende curar.

 

Uma forma mais natural e branda de realizar a desintoxicação por metais tóxicos, sem a utilização de compostos moleculares, é por meio de técnicas que interagem com o biocampo. Um composto frequencial, de acordo com o criador do método QuantumBIO,, é capaz de interagir com o biocampo. De forma resumida, um composto frequencial é aquele que contém a informação de um sistema orgânico saudável como um todo, ou de cada uma de suas partes componentes, como o corpo humano e seus órgãos e células. O composto frequencial é capaz de interagir com o biocampo, passar instruções a ele. Assim, por exemplo, se um órgão está doente, é possível informar ao biocampo, por meio de um composto frequencial, sobre o padrão saudável desse órgão. O biocampo então assimila esta informação e favorece a manifestação de um órgão saudável no nível material.

 

O MTox, um composto frequencial destinado à neutralização de metais tóxicos do organismo, favorece a quelação dos metais, ajudando dessa forma na recuperação da saúde. O MTox contém informações em sua matriz que, ao serem passadas para o biocampo, promovem a neutralização frequencial do metal no organismo humano. 

 

Conheça mais no site da QuantumBIO. 


Faça seu comentário:

País:

Atuação profissional: