Blog

Como a deficiência de Iodo pode comprometer a gravidez.

27/03/2018 15:28:23

O iodo é um mineral essencial para o desenvolvimento do corpo. Ele é necessário para a síntese dos hormônios da tireoide que impactam no crescimento físico e neurológico, na temperatura corporal, controlam o metabolismo da oxidação celular, dos lipídios, dos hidratos de carbono, das proteínas, da água e de alguns minerais. O iodo também é essencial para o bom funcionamento  do coração, do fígado, dos rins e ovários.

 

O sal que consumimos contém uma dose de iodo, visando a manutenção do equilíbrio da taxa do mineral na população. Assim como a falta de iodo pode trazer problemas para a saúde, seu excesso intoxica o organismo. O equilíbrio, portanto, é o ideal.


UM ALIADO PARA A FECUNDAÇÃO


Muito se fala da importância de cuidar da taxa de iodo no organismo durante a gravidez. Mas essa preocupação deve ser prévia para quem sonha em gerar uma criança. Estudos recentes realizados por pesquisadores do instituto americano NICHD (Eunice Kennedy Shriver National Institute of Child Health and Human Development), indicam conexão entre a falta do mineral e a infertilidade.

 

Foram avaliadas 467 mulheres entre 2005 e 2009 que estavam tentando engravidar. Por meio de exames de urina, os pesquisadores perceberam que mulheres que tinham deficiência de iodo no sangue, apresentaram 46% menos chances de engravidar.


Isso porque o Iodo é necessário para a formação dos hormônios produzidos pela tireóide que tem um papel importante na gestação, facilitando a fecundação e a manutenção do embrião no útero.


IDEAL PARA A SAÚDE DA MÃE E DO BEBÊ

 

A taxa recomendada de ingestão de iodo duplica quando a mulher está grávida. Caso falte o mineral na alimentação da mãe, aumentam os riscos dela desenvolver hipotireoidismo, e com isso, de sofrer um aborto espontâneo, hemorragia pós parto, anemia, hipertensão e descolamento da placenta.

 

Já a falta de iodo para o feto pode gerar má formação dos neurônios ou deficiência no desenvolvimento cerebral.

 

SPIRULINA: UMA BOMBA DE MINERAIS

 

Para equilibrar as taxas de iodo no sangue, as grávidas devem ingerir alimentos provenientes do mar, que são ricos nesse mineral. Outra opção são ovos e leite. A mulher ainda pode optar por ingerir superalimentos, como a Spirulina.

 

A alga é conhecida por ser rica, entre outros minerais, em iodo. O poder nutricional da Spirulina é tanto, que a NASA a incluiu na alimentação de seus astronautas. Além disso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendou o superalimento na alimentação diária da população.

 

Além de ser rica em iodo, a alga tem capacidade antioxidante e antiinflamatória, que ajuda na prevenção de danos oxidativos que prejudicam o DNA e as células e doenças inflamatórias, como rinite por exemplo.

 

A Spirulina ainda ajuda a diminuir os níveis de LDL, conhecido como colesterol ruim, e aumentar o HDL, colesterol bom.  Além disso, ajuda a controlar o nível de açúcar no sangue, a combater a anemia e aumentar o nível de força muscular.

 

Conheça mais sobre a história, origem e propriedades da Spirulina que, entre tantos benefícios que citamos aqui, pode ajudar mulheres que querem engravidar ou que estão procurando opções mais saudáveis para melhorar a sua saúde e a do bebê durante a gestação.


Faça seu comentário:

País:

Atuação profissional: