Blog

Seu sangue, sua origem e sua saúde.

13/10/2017 08:57:30

Saiba qual a influência do grupo sanguíneo na saúde do ser humano.


  • Análise e síntese da pesquisa

Número de participantes da pesquisa: 544 pessoas, sendo elas 383 (70,40%) mulheres e 161 (29,60%) homens. 


CARACTERÍSTICAS DOS PARTICIPANTES:


  • Coleta de dados: estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.
  • Características etiológicas: pessoas de origem Européia, Oriental e Ocidental.
  • Hábitos adversos de alimentação e estilo de vida.


FAIXA ETÁRIA DOS PARTICIPANTES:




PARTICIPAÇÕES POR TIPO SANGUÍNEO:




PARTICIPANTES COM DISTÚRBIOS ORGÂNICOS CONFORME FAIXA ETÁRIA E CONSIDERAÇÕES DO GRUPO SANGUÍNEO



CONCLUSÕES E COMENTÁRIOS DA PESQUISA

ESTADO GERAL

• A estatística mostra que as pessoas do Grupos Sanguíneos  A (23,8%) e AB (27,3%), por questão de origem tem o metabolismo na produção de energia mais lentos, significando pâncreas mais vagaroso. O tipo A surgiu em decorrência do tipo O para o lado mais vegetariano, pois não tinham tanta necessidade de agilidade que tinha o O, para a caça. Os primeiros agricultores surgiram nos povos de origem A.
• O tipo AB, por ser ainda um sangue em consolidação, sofre mais na juventude em função da desadaptação, no entanto pela característica forte do B, sofre menos na meia idade (63,6%).
• Os do tipo B e O, têm boas disposições na juventude e são ágeis, porém na meia idade e na idade avançada são os que mais sofrem.

NEUROLÓGICO
(Memória / Concentração)

• As pessoas de origem do tipo A (19,4%) e AB (26,3%), na juventude tem mais problemas de memória e concentração, pelo fato de ter o instinto menos apurado, portanto desgastam mais mentalmente. Os de origem B e O, são dotados naturalmente de um bom instinto, no entanto são os que apresentam mais problemas no avançar da idade.

NATUREZA
(Fragilidade Circulatória)

• Os grupos de origem A (22,9%) e AB (22,7%), são os que apresentam maiores tendências em desenvolver distúrbios circulatórios, pelo fato de serem normalmente ativos em assumir as restrições da vida e deixar suas necessidades básicas em segundo plano. As pessoas de origem A e AB são excelentes cooperadoras, adaptam-se facilmente. São as que apresentam maior número de distúrbios na meia idade, por conviver com hábitos alimentares sociais mais propícios aos de origem O.
• Os do tipo B e O, agem pelo instinto, são líderes natos e não gostam de ser mandados. Sofrem emocionalmente por conviver com de origem A e AB e são os que têm maiores problemas circulatórios na idade mais avançada.

TEMPERAMENTO E CARÁTER
(Fragilidade Endócrina)

• As pessoas dos tipos A (19,3%) e B (18,8%), são os que têm maior nível de preocupação e ansiedade na juventude, caracterizando pessoas com o emocional frágil. Os do tipo A se adaptam, porém os do tipo B sofrem na idade mais avançada pela dificuldade adaptativa.

SONO
(Processo Hepático)

• Tudo que se refere ao sono tem a ver com o fígado. Neste aspecto as pessoas do tipo A (25,7%), são os que têm o processo hepático mais lento. O hábito social da alimentação e consumo de bebidas alcoólicas são extremamente inadequadas ao tipo A. Os do tipo AB, por ter a influência do B, resistem melhor a situação.

PÂNCREAS / VESÍCULA
(Cefaléia, vômito, visão, tontura, etc.)

• A vesícula tem ação conjunta com o pâncreas e o fígado na produção de energia, e tem a ver com a regularidade endócrina. A pesquisa confirma que os de origem A (20,4%) e AB (33,3%) são os que têm menor desempenho na produção de energia, confirmando com o Estado Geral, no primeiro item do questionário.

DIGESTIVO / INTESTINO
(Enzimas e hormônios)

• As pessoas do tipo A, por natureza produzem menos suco gástrico, pois os vegetarianos não requerem tanto deste fluído. Porém os do tipo A (21,6%), sofrem do processo digestivo pelo fato dos hábitos sociais serem de tendência mais carnívora. Os do tipo B e O, sofrem na meia idade, por questão da convivência com o tipo A e se alimentam com comidas muito condimentadas que geram o excesso de suco gástrico, fonte causadora de gastrites e úlceras. Ainda, pela convivência com os do tipo A, os do tipos B e O tem distúrbios digestivos em consequência das incidências emocionais.
• Na idade mais avançada, o tipo B é o mais afetado digestivamente.

CIRCULATÓRIO / CORAÇÃO

• Por convivência social, seja emocionalmente ou pelos hábitos alimentares, os do tipo A (15,6 %) e AB (18,8%), são os que apresentam maior índice de distúrbios circulatórios na juventude. Na meia idade os do tipo O são os que mais sofrem em função do metabolismo em consequência da disfunção da tireoide. 
• Porém na idade mais avançada, os do tipo B são os que mais desenvolvem distúrbios de ordem circulatória que afetam o cérebro (Doenças mais raras).

RESPIRATÓRIO / LINFÁTICO

• Pela estatística, os tipos A (21,1%) e AB (35,7%), são os que têm maior fragilidade imunológica, portanto maior incidência de distúrbios respiratórios. Como estes tipos sanguíneos apresentam maiores distúrbios orgânicos, principalmente na juventude, tem maior incidência da ansiedade, prejudicando a disciplina respiratória que por sua vez, afeta a imunidade.

ENDÓCRINO / HORMONAL

• Por ser ainda um sangue em consolidação, os do tipo AB (23,8%) são os que maiores distúrbios hormonais apresentam na juventude. Na meia idade, os do tipo O que por natureza tem dificuldade na captação do Iodo (I), e somatizando emocionalmente com outros grupos sanguíneos, são os que têm mais distúrbios.
• Na idade mais avançada, os do tipo B, que normalmente são fortes até a média de 45 anos, declinam exageradamente com distúrbios adversos.

Por Kunio Inamoto - Fundador e Presidente da QuantumBIO.

Faça seu comentário:

País:

Atuação profissional: