Blog

A complexidade engorda.

21/07/2017 18:02:07

O biotipo associado às restrições sociais justifica um mundo cada vez mais obeso.


Em 1997, a Organização Mundial da Saúde reconheceu que a obesidade é uma doença. Ela aumenta o risco de enfermidades crônicas como diabetes, hipertensão arterial, doenças cardiovasculares e câncer. Ficou estabelecido também que os maiores prejuízos da obesidade acontecem quando a gordura se deposita na região do abdome.


Cada pessoa tem um complexo regulador do peso, controlado por uma função genética. Esta função coordena os hormônios que atuam no cérebro e em conseqüência em todo o corpo. Os hormônios mais conhecidos são:


  • Grelina: é um hormônio produzido no estômago e tem a função de estimular a fome e o apetite.
  • Leptina: é o hormônio que informa o quando já comemos o suficiente, inibindo o apetite. É produzido pelas células da gordura.
  • PYY: é o hormônio produzido pelo intestino que leva ao cérebro a informação da saciedade, ou seja, do “estou satisfeito”, reduzindo assim a produção do hormônio Grelina.
  • Dopamina e Serotonina: são hormônios existentes no cérebro, relacionados à sensação de prazer e ligados aos fatores emocionais.


Apesar dos comandos genéticos gerados pelas funções hormonais influenciarem no desenvolvimento do sobrepeso, podem ser perfeitamente controláveis pelas mudanças dos hábitos e do estilo de vida. 


O ADULTO E A CRIANÇA


Muitos problemas do adulto, sejam nos hábitos alimentares, sejam no estilo de vida, se originam nos atos e costumes gerados na infância ou na adolescência. Segundo a Organização Mundial da Saúde, uma em cada dez crianças é obesa, e isso afeta todas as classes sociais.


Dicas a considerar:


  • Os filhos tendem a imitar os pais. Cuide do seu comportamento nos hábitos alimentares e verifique o comportamento dos seus filhos.
  • Não faça da comida uma moeda de troca. Por exemplo, premiar com doce ou um sorvete por um feito, seja por uma boa nota ou por que comeu uma salada na refeição.
  • Negar um doce a uma criança pode ser um drama, porém isto passa. Reeducar significa evitar muitos problemas no futuro.
  • Não é fácil mudar os hábitos sociais. Procure mudar aos poucos, com habilidade e sem muito radicalismo. Retire inicialmente os alimentos que mais engordam.
  • Nunca force uma criança a comer o que não quer. Sempre há uma razão para isto. Procure pesquisar, pois a criança pode ser intolerante ao alimento.
  • Fixe os horários para as refeições. Consumir guloseimas ou doces a toda hora é o caminho mais curto para a obesidade.
  • Comece educar uma criança a partir do nascimento, pois o recém-nascido não tem noções de sabor. Reeducar é sempre mais difícil. Nunca adicione açúcar na mamadeira ou incentive o consumo de refrigerantes. 


OBESIDADE E O FUTURO


Cada vez mais, surgem no mercado produtos para tentar solucionar a obesidade.  Nenhum deles, porém, será melhor do que a prevenção para evitar o problema. De forma resumida, vimos que o básico para os cuidados contra a obesidade está nas mudanças, tanto nos hábitos alimentares quanto no estilo de vida a fim de manter o equilíbrio do processo neuro-endócrino.


Faça seu comentário:

País:

Atuação profissional: