Blog

Estilo de Vida: "Alcalino para sempre".

21/07/2017 17:26:09

A dieta alcalina propõe bem mais do que um piano para um curto espaço de tempo — a ideia é modificar o estilo de vida. Portanto, não importa se você não conseguiu montar seu prato milimetricamente dentro da regra dos 70 por 30.


O essencial é conhecer os alimentos que devem ser priorizados sempre, e fazer o possível para moderar itens que deixam um rastro de acidez no organismo, como carne vermelha queijos e produtos industrializados.


Para a nutricionista Vicki Edgson (Reino Unido) e entusiasta da dieta alcalina, a indigestão, o abdome inchado e a prisão de ventre não são apenas sintomas do excesso de “cinzas” ácidas, para usar um termo bastante utilizado por especialistas, mas também um resultado do “comer sem consciência”.


Parar para fazer uma refeição, é preciso escolher o que entra no prato com atenção e levar a comida para dentro do corpo com calma. Esses preceitos, portanto, ajudam a turbinar os resultados da dieta. Até porque saborear diferentes vegetais, com cores, texturas e sabores distintos, exige mais dos sentidos do que engolir um hambúrguer coberto de pão que quase não precisa ser mastigado. Isso significa que o estilo de vida alcalino vai muito além de seguir um cardápio. Envolve um olhar diferente para a comida e o papel que cada nutriente exerce no organismo.


NATURAL É MELHOR


Acima de qualquer coisa, a dieta alcalina tem como princípio priorizar alimentos naturais e frescos, deixando os produtos industrializados apenas para o último caso. Isso requer organização e algum tempo disponível para preparar as refeições em casa, ou pelo menos finalizá-las. Contar com ajuda de empresas que entregam comida pode ser uma opção para quem mal consegue colocar os pés na cozinha. Mas que tal colocar um tempero diferente na sua salada?


Você pode se surpreender com muitas mudanças positivas em sua vida ao pesquisar novos sabores e ingredientes, aprendendo a respeitar os alimentos que vêm da terra e todo o seu poder nutritivo.


“A comida preparada com carinho é mais saborosa — existe uma transferência energética que é absorvida pelo organismo e acaba por beneficiar profundamente todo o corpo”, comenta a nutricionista Vicki.


Esse novo modo de vida também pode ser mais econômico, já que pratos prontos e refeições em restaurantes sempre pesam mais no bolso. Produtos orgânicos ainda são mais caros nos supermercados brasileiros, mas é possível encontrar feiras com preços acessíveis, ou, ainda, pequenos empresários que entregam vegetais frescos em casa.


DESINTOXICAÇÃO PARA COMEÇAR


Muitos adeptos da dieta alcalina propõem alguns dias iniciais de desintoxicação, com um cardápio totalmente livre de carne, glúten e laticínios, para “reiniciar o sistema”, ou seja, fazer uma limpeza para que o organismo recomece do zero, para só depois reintroduzir os itens que exigem mais da digestão.


Para o australiano Ross Bridgeford, autor de site que oferece programa alimentar alcalino, o Live Energized, sua primeira experiência com a dieta não teve tantos resultados positivos.


MASTIGAR BEM É FUNDAMENTAL


Você já deve ter ouvido milhares de vezes que mastigar bem é primordial para uma digestão eficiente. Qualquer pessoa que tenha engolido uma refeição por falta de tempo para almoçar já sentiu na pele as consequências: sono, gases, azia e ate dores de estomago. Portanto, não tenha dúvidas de que a mastigação é um aspecto importante para o sucesso da dieta alcalina.


Praticantes de yoga sugerem que se mastigue de 30 a 50 vezes antes de engolir cada garfada. O importante é que haja tempo para que as enzimas secretadas na base da boca se misturem saliva e transformem os alimentos em uma pasta liquida antes de chegar ao estômago. 


Saiba que comer devagar, pousando os talheres para terminar de mastigar, interfere ate no sabor da comida! O doce é melhor percebido, o que ajuda quem sente falta do açúcar ao seguir a dieta.




10 DICAS PARA FACILITAR A SUA ROTINA


1 ••• REDUZA O CONSUMO DE ALIMENTOS COM CARGA ÁCIDA

Diminua a porção de queijos, carnes, cereais industrializados, açúcar, café, álcool e refrigerante.


2 ••• AUMENTE O CONSUMO DE ALIMENTOS COM CARGA ALCALINA

Legumes, verduras e frutas devem ser consumidos em abundância, sempre que a fome surgir.


3 ••• COMECE SUA REFEIÇÃO SEMPRE PELA SALADA

Capriche nas verduras cruas e na ingestão de folhas verdes, que possuem nutrientes importantes.


4 ••• TEMPERE SUA SALADA

Use vinagre de maçã ou limão, azeite de oliva extravirgem e ervas como orégano, alecrim e manjericão.


5 ••• NÃO FIQUE MUITO TEMPO SEM SE ALIMENTAR

Em jejum, o corpo produz acidose por meio da queima de massa muscular.


6 ••• USE LEGUMINOSAS PELO MENOS 3 VEZES POR SEMANA

Feijão, ervilha e grão-de-bico são acidificantes, mas são nutritivos, por isso não precisam ser tirados da dieta.


7 ••• VARIE OS TUBÉRCULOS

Use também raízes como batata-doce, inhame e cará, ricas em nutrientes, em vez de usar somente a batata comum.


8 ••• INTERCALE PEIXE E A CARNE VERMELHA COM FRANGO OU OVOS

Consuma o primeiro de 2 a 3 vezes na semana e restrinja o segundo para 1 ou 2 vezes.


9 ••• HIDRATE-SE AO LONGO DO DIA

Use água mineral ou alcalina, bem como chás de ervas, sucos de vegetais, água de coco e água com limão.


10 ••• GRÃOS INTEGRAIS VALEM A PENA

Dê preferência às versões integrais de arroz, massa e pão, que contêm mais fibras.


Fonte: "Coleção Viva Saúde Especial", n°2


Faça seu comentário:

País:

Atuação profissional: