Blog

Conceitos funcionais dos alimentos.

21/07/2017 17:04:41

Os alimentos podem ser de origem animal, vegetal ou mineral. Passam a ter o conceito funcional desde que promovam benefícios à saúde e que participem no crescimento do corpo, atuem na reparação dos tecidos, na produção da energia e desenvolvam o equilíbrio sinérgico e quântico do organismo.


São alimentos: carnes, arroz, feijão, leite, ovos, alface, couve, banana, couve, entre outros, de preferência todos provindos da natureza e que sejam isentos de elementos nocivos à saúde, tais como agrotóxicos, conservantes, estabilizantes, corantes, etc.


Nos conceitos mais recentes, a OMS (Organização Mundial da Saúde) alerta para os cuidados necessários sobre a contaminação de alimentos por energias negativas, por exemplo, provindas de radiações de aparelhos eletro-eletrônicos como computadores, telefones celulares e redes de alta tensão, aos quais a humanidade se expõem cada vez mais.


De forma mais intrínseca, o alimento deixa de ser funcional quando no seu preparo alteramos os aminoácidos de forma levógera para destrógera. Por exemplo, a Chlorella é uma alga e se analisarmos o que ela contém de forma natural configura um extraordinário completo alimentar funcional. Porém, devido a sua capa de proteção à base de celulose, requer um processamento a fim de romper esta capa.


O processo químico altera os aminoácidos de forma levógera para destrógera e prejudica o seu conceito funcional. No entanto, o método mecânico já conserva as características naturais.


Todo alimento funcional deve atender três aspectos básicos:


1. Alimentos de objetivo plástico: São ricos em proteínas, cálcio e água. Favorecem a formação de novos tecidos e evitam o envelhecimento.

2. Alimentos de objetivo energético: São ricos em gorduras, açúcares e proteínas. Favorecem a produção de energia, para manter o corpo ativo.

3. Alimentos de objetivo regulador: São alimentos ricos em vitaminas de preferência A, B e C, sais minerais, tais como ferro, potássio, cálcio, sódio, magnésio, zinco e cobre. Favorecem o equilíbrio neuro-endócrino e na manutenção das funções orgânicas essenciais.


A partir do ano de 1998, o Consenso Latino-Americano de Nutrição preconiza que o consumo de alimentos nos três aspectos acima deve respeitar a pirâmide alimentar, ou seja, consumir os alimentos necessários na proporção adequada.


Nesta edição estamos enfatizando os cuidados do dia a dia na alimentação que é a base suporte do nosso organismo. Leia atentamente sobre “Como preservar e conquistar a saúde” e você poderá identificar alguns dos procedimentos importantes, a fim de otimizar o equilíbrio orgânico que é a fonte lógica e natural que denominamos de saúde.


BALANCEAMENTO ALIMENTAR - PIRÂMIDE ALIMENTAR


Fonte: Base conceitual de Ray & Terry


O QUE EVITAR: 


1. Carboidratos com carga glicêmica elevada (açúcar, confeitos, sobremesas, amidos refinados como pães, massas, grãos refinados como arroz branco, raízes ricas em amidos como a batata inglesa).

2. Sucos ou néctar de frutas.

3. Gorduras trans e óleos vegetais industrializados. 


Faça seu comentário:

País:

Atuação profissional: