Blog

Sistema Urinário.

21/07/2017 16:10:26

O sistema urinário é o responsável por filtrar e eliminar substâncias indesejáveis do nosso organismo. Quando em desequilíbrio, pode comprometer outros sistemas orgânicos. Saiba como funciona esse sistema e como protegê-lo de forma natural.


A eliminação da urina é feita através do sistema urinário. Os órgãos que compõe o sistema urinário são os rins e as vias urinárias. A urina é composta de aproxi­madamente 95% de água. Os principais excretas da urina humana são: a ureia, o cloreto de sódio e o ácido úrico.


As vias urinárias compreendem o ureter, a bexiga e a uretra.




Os nossos tecidos, que recebem do san­gue as substâncias nutritivas, ao sangue abandonam aqueles compostos químicos tóxicos que neles se formam como resul­tado do complexo fenômeno da nutrição. Tais substâncias são danosas e devem ser eliminadas para não intoxicar o organis­mo e pôr a vida em perigo. A maior parte desses produtos é eliminada por trabalho do aparelho urinário; somente uma parte mínima é eliminada pelas glândulas su­doríparas mediante o suor.


O aparelho urinário tem a tarefa de se­parar do sangue as substâncias nocivas e de eliminá-las sob a forma de urina. Com­põe-se ele dos rins, que filtram o sangue e são os verdadeiros órgãos ativos no trabalho de seleção das substâncias de rejeição; dos bacinetes renais com os res­pectivos ureteres, que conduzem a urina até a bexiga; da bexiga, que é o reserva­tório da urina; da uretra, canal mediante o qual a urina é conduzida para fora.


Juntamente com as substâncias de rejei­ção, o aparelho urinário filtra e elimina também água. A eliminação de água é necessária seja porque as substâncias de rejeição estão dissolvidas no plasma, que é constituído, na sua maior parte, de água, seja porque também a quanti­dade de água presente no sangue e nos tecidos deve ser mantida constante.


A água entra na composição de todos os tecidos e da substância intercelular (que enche os espaços entre as células): ela é o constituinte universal de todos os “humores” do organismo e tem a ta­refa essencial de servir de “solvente” de todas as substâncias fisiologicamente ativas. A água entra no organismo com os alimentos e as bebidas; em parte se forma no próprio organismo por efeito das reações químicas que aí têm lugar. Depois de ter realizado as suas impor­tantes funções, a água deve ser elimina­da: como antes tinha servido de veículo às substâncias nutritivas, agora serve de veículo às substâncias de rejeição.


COMO OCORRE A EXCREÇÃO?


O nosso sangue contém muitas substân­cias de que não necessitamos e algumas podem mesmo ser perigosas - água em excesso, sais minerais, células mortas ou alteradas e resíduos das atividades celulares. Por isso devem ser eliminadas.


COMO É CONSTITUÍDO O SISTEMA URINÁRIO?


Os componentes do sistema urinário são: dois rins, dois ureteres, a bexiga urinária e a uretra. Os rins são os prin­cipais órgãos do sistema urinário. Situ­ados na cavidade abdominal, na região lombar, um de cada lado da coluna ver­tebral e rodeados por um tecido gor­duroso, os rins são órgãos em forma de feijão, de cor vermelha escura. Têm o tamanho de um ovo de galinha, medin­do cerca de 11 cm de comprimento e 6 cm de largura. Pesam entre 115 e 155 gramas nas mulheres e entre 125 e 170 gramas nos homens. O lado côncavo está voltado para a coluna vertebral e é por esse lado que entram e saem os va­sos sanguíneos, do qual a artéria renal e a veia renal são os mais importantes.


Os rins extraem os produtos residuais do sangue através de milhões de pequenos filtros, denominadas néfrons, que são a unidade funcional dos rins. Cada néfron apresenta duas partes principais: a cáp­sula glomerular (ou cápsula de Bowman) e os túbulos renais. Nas figuras os túbu­los renais são identificados como túbulo contorcido proximal, alça néfrica (alça de Henle) e túbulo contorcido distal. No interior da cápsula glomerular penetra uma arteríola (ramificação da artéria re­nal) que se ramifica, formando um ema­ranhado de capilares chamado gloméru­lo renal. A cápsula glomerular continua no túbulo contorcido proximal, que se prolonga em uma alça em forma de U chamada alça néfrica.


Dessa alça segue um outro túbulo con­torcido, o distal. O conjunto desses túbu­los forma os túbulos renais.


A urina se forma nos néfrons basicamen­te em duas etapas: a filtração glomerular e a reabsorção renal. É na cápsula glo­merular que ocorre a filtração glomeru­lar, que consiste no extravasamento de parte do plasma sanguíneo do gloméru­lo renal para a cápsula glomerular. O lí­quido extravasado é chamado filtrado. Esse filtrado contém substâncias úteis ao organismo, como água, glicose, vitami­nas, aminoácidos e sais minerais diversos. Mas contém também substâncias tóxicas ou inúteis ao organismo, como a uréia e o ácido úrico. Da cápsula glomerular, o filtrado passa para os túbulos renais. O processo em que há o retorno ao sangue das substâncias úteis ao organismo pre­sentes no filtrado é chamado reabsorção renal e ocorre nos túbulos renais. Essas substâncias úteis que retornam ao san­gue são retiradas do filtro pelas células dos túbulos renais. Daí passam para os vasos capilares sanguíneos que envol­vem esses túbulos.


Dos néfrons, os resíduos recolhidos são enviados através dos ureteres para a be­xiga. Os ureteres são dois tubos muscu­losos e elásticos, que saem um de cada um dos rins e vão dar à bexiga. A bexi­ga é um saco musculado, muito elástico, com um comprimento aproximado de 30 cm, onde a urina (resíduos filtrados) é acumulada. Este reservatório está li­gado a um canal - a uretra - que se abre no exterior pelo meato urinário, e a sua base está rodeada pelo esfíncter uretral, que pode permanecer fechado e resistir à vontade de urinar. Válvulas existentes entre os ureteres e a bexiga impedem o retrocesso da urina.




Faça seu comentário:

País:

Atuação profissional: