Blog

Bioeletrônica e saúde.

21/07/2017 15:45:01

De acordo com a revista Nature, a Bioeletrônica associada a nanodispositivos objetivando conectar a grupos de fibras nervosas individuais e assim alterar os padrões de sinais elétricos para restaurar a saúde de órgãos e sistemas  é uma visão distante da prática médica atual. Mas um dia, tais “medicamentos de ação quântica” poderia persuadir insulina a partir de células para tratar a diabetes, regular a ingestão de alimentos para tratar a obesidade e a ação dos tônus do músculo liso para tratar a hipertensão, entre muitas outras aplicações. Ao verificarmos estes comentários da revista Nature, nós acreditamos que esta é uma visão que vale a pena perseguir. E é por isso que a QuantumBIO já utiliza alguns padrões de origem orgânica em seus produtos e também recursos da nanofrequência nas atividades clínicas como meios de mensuração. A Bioeletrônica é um recurso não invasivo que utiliza os fenômenos da Biorressonância, cuja precisão é fenomenal.


Os investigadores estão começando a documentar como uma ampla variedade de funções corporais são influenciados pelo sistema nervoso, a partir do controle do apetite e da pressão arterial, através da regulação de citoquinas. A ciência relativamente recente de Optogenetics pode tratar neurônios individuais em tecido vivo, abrindo o potencial para o mapeamento e um controle específico sobre a atividade em tempo real. Essas tecnologias vão continuar a avançar rapidamente no âmbito de programas de bilhões de dólares nos EUA e na Europa, que estão sendo criados para entender a arquitetura do cérebro e de sua função. O avanço da cirurgia laparoscópica está nos levando para a possibilidade clínica de colocação de dispositivos desenvolvidos pela nanotecnologia no nervo do indivíduo com objetivo corretivo.


Existe hoje um programa de financiamento para apoiar até 20 projetos ao redor do mundo que irá iniciar rapidamente a investigação em áreas que podem sustentar medicamentos bioeletrônicos. Estão interessados em projetos que começam detalhar como os nervos do corpo estão relacionadas a doenças específicas, compreender os padrões de disparo desses nervos, e explorar novas tecnologias que nos permitem interagir com várias fibras nervosas individuais. Creio que num futuro não tão distante, os medicamentos não serão mais químicos, mas sim talvez ditos “frequenciais”, de ação biofísica. Acredito que os medicamentos de característica quântica vão abrir uma nova frente na missão de controlar e reverter a doença. A QuantumBIO, através da sua linha “Organus” lançada em novembro de 2015 no I Congresso Internacional Fronteiras da Saúde Quântica (I-CIFSQ), agrega na sua essência padrões quânticos provindos de florais, homeopatias, cores, notas musicais, fitoterápicos, minerais e outros fatores da natureza, objetivando a homeostase quântica do indivíduo.


RESUMINDO:


A Bioeletricidade no entendimento da natureza é o campo das energias celulares coexistentes no organismo de uma entidade cuja resultante é a individualidade fenomênica do ser. O Padrão Quântico de uma entidade é a soma das energias agregadas provindas do Universo, onde cada célula, cada sistema ou o organismo como um todo é único. Portanto, o padrão quântico de um indivíduo é específico, e específico também as partes que o compõem.


A Biorressonância é uma das formas de estabelecer estes padrões individuais, seja de uma célula, órgãos ou sistemas e verificar se há ou não desequilíbrios. Restabelecer estes padrões significa levar o organismo ao equilíbrio, portanto, restabelecer a “saúde”.


O nosso organismo é a holografia composta de minerais e proteínas, cuja soma quântica faz o indivíduo único no Universo e as semelhanças formam as espécies. A inserção de padrões quânticos específicos que hoje a QuantumBIO pratica é um exemplo de alta tecnologia utilizada nos mais modernos centros mundiais, que procura restabelecer o equilíbrio do organismo.


Faça seu comentário:

País:

Atuação profissional: