Blog

Tireóide vs. Inteligência.

21/07/2017 15:39:57

A base funcional do organismo está no equilíbrio entre a hipófise e tireoide.


Embora pequena, a tireoide é uma das maiores glândulas do corpo. Situa-se no pescoço, logo abaixo do pomo-de-adão (popular gogó). Tem formato de borboleta e é comandada pela hipófise, uma glândula situada no cérebro, e produz dois hormônios básicos, T3 (Triiodotironina) e T4(Tiroxina) – que são considerados o combustível das células. Estes fluídos são conduzidos pela corrente sanguínea, regulando o metabolismo, e atuando em órgãos vitais como o coração, fígado, rins e ovários. 


Quando ocorre um descompasso entre os hormônios da tireoide ou desequilíbrio do hormônio TSH (Tireotrofina) da hipófise, surgem distúrbios da carência ou do excesso, causando o hipotireoidismo ou hipertireoidismo.


POR QUE A DISFUNÇÃO DA TIREOIDE AFETA A INTELIGÊNCIA


O hipotireoidismo materno chega a ser 200 vezes mais comum do que o congênito, segundo o endocrinologista Dr. José Gilberto Vieira do Laboratório Fleury e também professor da Universidade Federal de São Paulo.


Segundo publicação no New England Journal of Medicine, uma das revistas cientificas mais respeitadas do planeta, o hipotireoidismo no período de gestação pode afetar a capacidade intelectual da criança, prejudicando o desenvolvimento neurológico, incluído a coordenação motora, a acuidade visual, a atenção, a fala e o desempenho escolar.


O fato é justificável porque nos primeiros três meses de gestação o feto não produz hormônios tireoidianos, os quais são integralmente fornecidos pela mãe através da placenta. Após este período, a criança já começa produzir os seus hormônios, porém não integralmente, sendo, portanto suplementado pela mãe.


Quando a gestante se encontra em estado de hipotireoidismo, significa também carência para o feto, portanto, fato gerador de distúrbios de metabolismo no bebê, mesmo ainda no ventre da mãe.


Conforme estudo publicado nesta mesma revista, que comprova esta afirmativa, pesquisadores coletaram 25.000 amostras de sangue de grávidas, e destas selecionaram 62 casos em que o TSH estava elevado (significando hipotireoidismo) e separaram outras 124 gestantes com o TSH normal.


Anos depois, aplicaram o teste do QI (Quociente de Inteligência) nas crianças de ambos os grupos, com idades de 8 a 11 anos.


Conclusão


Todos os filhos de mães com hipotireiodismo na gravidez apresentaram dificuldades no aprendizado.


COMO DETECTAR A FASE INICIAL DO DISTÚRBIO DA TIREOIDE


Em princípio, a simples verificação dos níveis do TSH da Hipófise e o T3 e T4 da Tireoide, seriam suficientes. O fato destes hormônios estarem dentro da faixa de normalidade não significa que não existam desequilíbrios.


É muito importante que os dados, mesmo dentro da faixa, sejam analisados por um profissional criterioso. 


VERIFIQUE TAMBÉM ALGUNS SINTOMAS OU SINAIS, TAIS COMO:


  • Fazer o auto-exame, da existência ou não da protuberância ou nódulos da base do pescoço, logo abaixo do pomo-de-adão. Basta tomar alguns goles de água e observar-se no espelho.
  • Alterações emocionais: Ansiedade, Depressão, Nervosismo, etc.
  • Se ultimamente o peso tem aumentado com facilidade.
  • Se os ciclos menstruais estão irregulares ou tensão pré-menstrual – TPM.
  • Alteração de pressão arterial (baixa ou alta) ou arritmias.
  • Alterações na pele (Acnes, Alergias, Ressecamento, etc.).
  • Falta de energia, má disposição, queda no desempenho.
  • Falhas de memória sobre fatos de menos importância.
  • Dificuldade de concentração ou pouca paciência nas tarefas diárias.
  • Dificuldades digestivas e ou, intestinais (Prisão de ventre).


a) Se você tem pelo menos três desses itens acima, já é conveniente procurar um profissional para fazer prevenção.

b) Se você tem entre quatro a seis, já deve estar preocupado(a) ou talvez já esteja sendo monitorado(a) por algum profissional.

c) Se tiver sete ou mais dos itens acima, certamente é cliente de um profissional. Se é gestante ou pretende ser gestante, procure levar a sério os motivos da pesquisa citada, visando o futuro do seu bebê.


Ainda, reforçando, conforme pesquisa publicada no Journal of Clinical Investigation, no ano passado, relatou que o hipotireoidismo causa a carência do hormônio T4 (Tiroxina), responsável pelo amadurecimento do Sistema Nervoso Central. Por sua vez, dificulta a migração de neurônios para o Hipocampo, área do cérebro responsável pela memória transitória, e para o córtex, a parte cinzenta que armazena as informações e as transforma em memória de longo prazo.


OBSERVAÇÃO


Tanto o homem que fecunda, quanto a mulher que faz a gestação do fruto fecundado, devem ter a responsabilidade de estar em bom estado de saúde no momento da concepção, pois os distúrbios de ambos reincidem na vida do feto durante e pós-gestação. 


IMPORTANTE


As informações contidas nesta matéria têm finalidades informativas e culturais, portanto, jamais dispensarão a intervenção de um profissional devidamente habilitado, mesmo que a terapia seja com objetivo preventivo.


Faça seu comentário:

País:

Atuação profissional: